O PANÓPTICO VIRTUAL: DISPOSITIVOS DE VIGILÂNCIA ELETRÔNICA

Lisiane Priscila Selau

Resumo


Resumo

Enquanto os mecanismos de vigilância da sociedade disciplinar eram centrados na coerção, os mecanismos contemporâneos são voltados para a previsão, exercendo controle sem o confinamento. Em busca de traçar perfis que antecipem ações, de forma a incitar as pessoas ao consumo, os dispositivos de vigilância eletrônica coletam e cruzam suas informações. Por meio desses dispositivos, os clientes recebem indicações de produtos em nem sequer haviam pensado ou sabiam que existiam. O Panóptico, como descrito por Bentham, pode ser tomado como uma analogia para uma situação real e atual – os cartões de crédito tornando-se mecanismos de vigilância legitimados pelos clientes. Nesse sentido, pretende-se avaliar como o conceito do dispositivo Panóptico, como forma de exercer o poder sem ser visto, poderia ser utilizado de modo comparativo para entender como acontece essa forma de dominação simbólica. Para tanto, realizou-se uma revisão bibliográfica, procurando-se levantar as principais relações entre os dispositivos de vigilância eletrônica e a forma de poder presente na visão foucaultiana, promovendo ainda uma discussão a respeito da produção de sentido dos clientes sobre a utilização de suas informações. A contribuição deste estudo está na demonstração de que diferentes teorias podem ser aplicadas para entender e, possivelmente, auxiliar na formação de uma base teórica para sua sustentação.

Palavras-chave: Vigilância eletrônica. Panóptico. Sensemaking.


Texto completo:

PDF