CONTABILIDADE GERENCIAL, CICLO DE VIDA E PODER: À LUZ DA BIOPOLÍTICA DE FOUCAULT

Rodrigo Pinto dos Santos, Renata Valeska do Nasciemento Barbosa

Resumo


Resumo

Este trabalho explora o potencial de contribuição da abordagem da biopolítica de Foucault ao estudo da Contabilidade Gerencial e o poder nas diferentes etapas do ciclo de vida de uma empresa. Para tanto, foi realizado um ensaio teórico, baseado em revisão bibliográfica, sobre os temas ciclo de vida, Contabilidade Gerencial poder. Tentou-se delinear as relações entre esses três temas. Em primeiro lugar, buscou-se entender o poder sob a perspectiva da biopolítica de Foucault, identificando-se os seus principais pressupostos. Em segundo, destacou-se o papel da Contabilidade Gerencial em suas diferentes abordagens e do controle gerencial como instrumentos de poder. Em terceiro, mostrou-se a importância do estudo do ciclo de vida para as organizações. Por fim, foram destacados os principais mecanismos utilizados pela contabilidade gerencial para o exercício de poder e controle em cada estágio do ciclo de vida, segundo o modelo de Miller e Friesen. Constatou-se que, embora a abordagem de estágios organizacionais tenha sido amplamente estudada, não há estudos que relacionem a biopolítica à contabilidade gerencial nos diferentes estágios do ciclo de vida organizacional. Contudo, os estudos existentes que relacionam a contabilidade gerencial ao poder permitiram ampliar o entendimento do desenvolvimento da contabilidade gerencial nas organizações nas diferentes etapas de seu ciclo de vida, na medida em que as empresas apresentam distintas estruturas de poder em cada uma dessas etapas.

 Palavras-chave: Poder. Biopolítica. Foucault. Ciclo de Vida. Contabilidade Gerencial.


Texto completo:

PDF