POSIÇÕES CENTRAIS EM UMA REDE SOCIAL: A ESTRUTURA DA REDE DE ONGS DE PERNAMBUCO ASSOCIADAS À ABONG

Marcela Cox, Paulo Thiago Nunes Bezerra de Melo, Helder Pontes Régis

Resumo


Esse estudo se propõe a descrever e analisar a rede interorganizacional de ONGs de PE e as suas respectivas redes de articulação. Especificamente, são estudadas as ONGs associadas à ABONG (Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais), no que se refere às suas características estruturais, que fazem parte da dimensão estrutural do capital social. Esta dimensão estrutural é conceituada como as conexões entre os atores, ou seja, como os atores se conectam. São descritos os padrões e vínculos em termos de medidas como densidade e centralidade. A centralidade de um ator pode ser determinada tomando como referência a três diferentes atributos estruturais: seu grau, sua intermediação ou sua proximidade. O interesse na atividade de comunicação sugere uma medida baseada no grau; o interesse no controle da comunicação requer uma medida baseada na intermediação; e o interesse na independência e na eficiência leva à escolha de uma medida baseada na proximidade. Para o mapeamento, mensuração da densidade e centralidade da rede foi utilizado o software UCINET 6. Identificou-se que a rede estudada possui baixo nível de aproveitamento das relações possíveis. Também foi possível identificar os atores que se destacam por ocuparem posições estruturais de grande atividade de comunicação, de controle da informação e de independência da informação.

 

Palavras-chave Redes Sociais. Estrutura Social.Organizações Não Governamentais


Texto completo:

PDF