PRÁTICAS DE GESTÃO DE PESSOAS EM ESTÚDIOS DE ANIMAÇÃO BRASILEIROS:PRIMEIROS ACHADOS

Marta Machado, Bernadete Marinho

Resumo


Este trabalho busca levantar dados, através da aplicação de uma  survey, sobre as práticas de gestão de pessoas (GP) adotadas pelos estúdios de animação brasileiros. A pesquisa é exploratória, descritiva, de corte transversal e com uso de amostra não Probabilística de conveniência. A inexistência de publicações sobre o setor justifica a necessidade de estudos como esse, que aprofundem questões estruturais da animação brasileira, enquanto negócio da economia criativa. O mercado de animação brasileiro cresceu vertiginosamente nos últimos 10 anos, fruto da acessibilidade dos meios de produção promovida pela ampliação do uso de tecnologia digital no setor, bem como pelos crescentes incentivos governamentais para a área. O universo de empresas identifi cadas para a pesquisa chegou a 100, a partir da busca nas listas de referências de associados da Associação Brasileira de Cinema Animação (ABCA), de websites do setor e da página de registro de projetos audiovisuais da Agência Nacional de Cinema (Ancine), bem como através de contatos com pessoas atuantes no mercado de produção publicitária de animação. Levantamos os contatos dessas organizações e enviamos e-mails individuais para cada uma, convidando-as a responder ao questionário online formatado com a ajuda do GoogleDocs. Das 100 empresas contatadas, tivemos retorno de 36. A forte presença de empreendimentos de pequeno porte nesse segmento nos fez estabelecer uma correlação entre as práticas dessas organizações e aquelas de micro e pequeno porte, entendendo onde a literatura situa a gestão de pessoas nesse contexto. A defi nição de gestão de pessoas que norteou esse trabalho foi aquela estabelecida por Fischer (2002) que aponta que “toda e qualquer organização depende, em maior ou menor grau, do desempenho humano para seu sucesso e, por isso mesmo, desenvolve uma forma de atuação sobre o comportamento que se convencionou chamar de modelo de gestão de pessoas” (FISCHER, 2002,p. 13). As práticas escolhidas para este estudo estão alinhadas com aquelas apontadas por Golhar e Deshpande (1997), que afi rmam que o objetivo da boa gestão de pessoas passa pelo recrutamento, seleção, motivação e retenção de empregados. Os dados encontrados aqui e sistematizados através de diversos gráfi cos conduz à conclusão de que as práticas de GP em estúdios de animação no Brasil ainda são bastante incipientes e concentradas naquelas que garantem a sobrevivência imediata desses empreendimentos. Os gestores em geral não são pessoas formadas para isso e encontram difi culdades para aplicar práticas que fujam do lugar comum em empresas de pequeno porte. Novos estudos, tanto quantitativos quanto qualitativos, precisam ainda ser conduzidos até que tenhamos dados substanciais e consolidados sobre esse segmento da indústria criativa.

Palavras-chave: : Estúdios de Animação. Indústria Criativa. Gestão de Pessoas.

 


Texto completo:

PDF