VALOR JUSTO DOS ATIVOS BIOLÓGICOS: UM ESTUDO SOBRE A APLICABILIDADE DO CPC 29 EM UM JARDIM ZOOLÓGICO

Fátima de Souza Freire, Sara Soares do Prado, Matheus de Mendonça Marques, Ednei Morais Pereira

Resumo


Resumo

O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) aprovou, em 2009, o CPC 29, que tem oobjetivo de orientar como devem ser reconhecidos, mensurados e evidenciados os ativos biológicos.Assim como se tem discutido a respeito da convergência das normas contábeis, aquestão da biodiversidade também é um assunto que tem gerado inúmeras discussões. A existênciade um comércio de animais possibilita o questionamento quanto à forma de contabilizaçãoe, principalmente, de valoração desse tipo de ativo. O CPC 29 seria também aplicávelaos jardins zoológicos assim como é aplicável às empresas agropecuárias, afi nal, ambos operamcom ativos biológicos? E quanto ao valor justo, ele pode ser utilizado para animaisdesse tipo? O objetivo do estudo é responder a esses questionamentos, analisando a aplicabilidadedo pronunciamento aos animais do Jardim Zoológico de Brasília. Foram apresentadoso Balanço Patrimonial e o Inventário Geral de julho de 2010 da fundação para que pudesseser realizada uma análise comparativa dos valores contabilizados para cada animal com ospraticados no mercado, a fi m de se mensurar seus valores justos e analisar a aplicabilidadedo CPC 29. Conclui-se que, caso fosse aplicado o pronunciamento nos bens do zoológico deBrasília, o ativo biológico sofreria um aumento de mais de 416,36% em relação ao valor queestá escriturado.

Palavras-chave: Ativos Biológicos. CPC 29. Valor Justo. Jardim Zoológico.


Texto completo:

PDF