DIAGNÓSTICO DA INTERAÇÃO NO PROCESSO DE TRABALHO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA EM IBICARAÍ, BAHIA

Ana Célia Almeida Matos, Luana das Graças Queiróz Farias

Resumo


Um dos maiores desafios que se tem apresentado às organizações deste terceiro milênio tem sido a aprendizagem do trabalho em equipe. A pesquisa que originou este artigo objetivou diagnosticar a interação no processo de trabalho em Equipe de Saúde da Família (ESF) considerando o ponto de vista dos profissionais que a compõem e também fazendo menção às suas definições e à sua evolução e à sua influência no desempenho grupal. A metodologia adotada foi, quanto aos fins, pesquisa descritiva e exploratória, buscando investigar e descrever aspectos caracterizadores da dinâmica de interação no trabalho em equipe, e, quanto aos meios, bibliográfica e de campo, através de literatura especializada e questionário respondido em reunião bimestral da Atenção Básica, no Município de Ibicaraí, Bahia. O estudo evidenciou bom nível de interação, com elevado padrão de interdependência entre as atividades e alto grau de conscientização que o desempenho individual é influenciado e também produz efeitos sobre a qualidade do trabalho das pessoas e do grupo, contribuindo para uma cultura colaborativa. Nas relações interpessoais, prevaleceu a comunicação informal, pautada em respeito, flexibilidade, autonomia, feedback justo e satisfação com o grupo e sistema de recompensas e punições. Por fim, existem limitações quanto aos recursos necessários ao bom desempenho das atividades, o que acaba refletindo negativamente sobre resultados e imagem externa das equipes.

 

Palavras-Chave Trabalho em equipe. Desempenho Grupal. Equipes de Saúde da Família.

 


Texto completo:

PDF